Com o anúncio das autoridades de São Paulo, da flexibilização do uso de máscaras ao ar livre somente a partir de dezembro, temos uma leitura clara da situação.
As pessoas mascaradas pelas ruas e parques muitas vezes desertos, com seu cachorrinho ou companheiro ao lado, respiram um ar impuro e repleto de bactérias, graças à desinformação das autoridades e a imputação de responsabilidade a esses indivíduos como forma de coação.

 

Esse comportamento, aceitável até abril de 2020, quando ainda não havia dados concretos sobre a transmissão, é totalmente absurdo a partir de abril de 2021, quando várias pesquisas mostraram que sem aglomerações ao ar livre, as chances de contaminação beiram a ZERO.

 

Mas isso, jamais foi divulgado pelas autoridades de um estado com vacinação avançada como São Paulo, muito menos no restante do país.
O que mais interessava, eram disputas políticas entre Bolsonaro, Dória, CPI’s e o terror da imprensa assustando a população enjaulada em suas máscaras, como num filme de terror.
À ciência , nada. Tudo pela política, as pessoas apavoradas, acomodadas, mal informadas, em casa pedindo sua comida em embalagens plásticas meladas pelas manobras enlouquecidas dos entregadores.
Vendo TV, principalmente os canais que usam omedo para manter o cidadão sentado no sofá dando audiência.

 

Pesquisas como a do CDC ( centro de doenças contagiosas do governo americano, não deixam dúvidas.
https://www.healthleadersmedia.com/…/cdc-outdoor-covid…
O paternalismo usado por governos e autoridades em ocasiões como essa são a ferramenta. do Estado pra controlar pelo medo. a população, tirando dela a informação científica que a faria ter seu próprio julgamento

 

Jose Eduardo.

Jornalista –  DRT 54.587/SP