No dia 15 e 16 de junho, a cidade de São Paulo irá celebrar o Bloomsday, feriado que homenageia o livro Ulisses, do escritor irlandês James Joyce. Neste ano, a grande obra do autor completa 100 anos de lançamento. A comemoração mundial acontece em 16 de junho, dia em que se passa a história.

 

O evento terá início com a Casa Guilherme de Almeida, que conta com atrações como palestra de Marcelo Tápia, diretor da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo. A atividade será transmitida através do canal no YouTube do museu. O evento também irá exibir o filme 100 anos de Ulysses, na Sala Cinematographos.

 

A Casa das Rosas também entra na comemoração. A partir das 17h, o jardim do museu recebe apresentações de dança e música, além de quitutes inspirados na gastronomia irlandesa e show do cantor Cid Campos. As atividades são gratuitas.

 

 

Confira a programação completa:

 

16/6- Casa Guilherme de Almeida – “Telêmaco e Circe”

O Bloomsday na Casa Guilherme de Almeida focalizará dois episódios de Ulysses: o primeiro do livro, “Telêmaco”, no qual há referência a um delírio, e o décimo quinto, “Circe”, escrito com a técnica da “alucinação”.

18h: Links diretos com o Bloomsday de Porto Alegre, com breve conversa com Donaldo Schüler, organizador do evento na capital gaúcha, e link direto com Dublin para conversa com Dirce Waltrick do Amarante e Sérgio Medeiros, organizadores do Bloomsday em Florianópolis.
18h30: Abertura, por Marcelo Tápia.
18h40: “Joyce e o cinema”: exibição do curta-metragem inédito Writers’ tears, realizado a partir de imagens de Dublin, por Marcelo Tápia e Donny Correia.
19h: Breve palestra de Donny Correia sobre o filme O retrato do artista quando jovem (1977), de Joseph Strick.
19h15: Leitura de um fragmento do capítulo inicial de Ulysses, por Ivan de Campos.
19h25: Leitura dramática de fragmento do capítulo inicial de Ulysses, com os atores Carlos Rahal e Neto Mahnic.
19h45: Leituras de fragmentos do episódio “Circe”, de Ulysses, em vários idiomas por Marcelo Tápia (português), Alzira Allegro (inglês), Aurora Bernardin (russo), Flávio Ricardo Vassoler (italiano), Simone Homem de Mello (alemão), Fares Saeb (hebraico), Tereza Jardini (espanhol), Sarolta Kobori (húngaro), João Eduardo Hidalgo (catalão), Chloé Bernabé di Rollo (francês), Yun Jung Im (coreano) e outros.
20h15: Link direto com performances do Bloomsday de Florianópolis, organizadas por Clelia Mello e alunos da UFSC.
20h25: Pocket-show com o cantor e compositor Cid Campos e o músico Felipe Ávila.
21h: Encerramento, com apresentação da banda de música irlandesa TUNAS, acompanhada de dança irlandesa, por Letícia Pires e convidadas.

17/6 – Casa Guilherme de Almeida

14h às 18h: Oficina de tradução: Fragmentos do primeiro capítulo de Finnegans Wake
Por Daiane Oliveira, Larissa Lagos e Giovana Ursini
Depois de uma breve apresentação do primeiro capítulo de Finnegans Wake e da linguagem do romance de forma geral, a oficina demandará dos participantes um pequeno exercício de tradução: alguns fragmentos capítulo do livro serão traduzidos individualmente, no entanto, ao final, pretendemos ter apenas uma versão dos fragmentos traduzidos. Para se chegar a essa única versão da tradução, as ministrantes recorrerão à operação do acaso, à indeterminação, segundo o conceito do artista norte-americano John Cage.

Casa das Rosas – FORRÓ DO FINNICIUS
Na Casa das Rosas, a festança musical e dançante focalizará o romance Finnegans Wake, escrito em linguagem onírica.

18h: “Joyce era louco?” – Conferência do escritor e tradutor Donaldo Schüler.
19h: Leitura de fragmentos de Finnegans Wake por Marcelo Tápia, Donny Correia e Ivan de Campos.
19h15: Exibição de fragmento do filme Passages from James Joyce’s Finnegans Wake (1967), da diretora …
19h30: Breve workshop de dança irlandesa, por Letícia Pires e dançarinas convidadas.
19h45: Celebração festiva do Velório de Finnegan / Forró do Finnicius, com música e dança tradicional irlandesa, pela banda TUNAS e grupo de dançarinas.

 

Para mais informações acesse o site da Casa Guilherme de Almeida aqui.